CLICK AQUI

terça-feira, 24 de abril de 2012

Ele era polêmico: Jornalista e blogueiro Décio Sá foi assassinado

No longínquo estado do Maranhão foi calada a voz denunciante e corajosa do jornalista e blogueiro Décio Sá. O repórter político do jornal “O Estado do Maranhão”, foi assassinado na noite desta segunda-feira (23) num bar em São Luís.

Por volta das 23 horas, dois homens chegaram ao bar e restaurante Estrela Dalva, onde a vítima se encontraria com uma fonte de informações.

O jornalista era conhecido por denúncias contra setores públicos e políticos e, seu blog, era um dos mais acessados do estado.

O assassinato de Sá, de 42 anos, ocorreu um dia depois da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) alertar sobre as ameaças ao trabalho de jornalistas no Brasil. Neste ano, três companheiros de imprensa já foram mortos no país por motivos relacionados a sua atividade profissional.

Segundo testemunhas, um homem não identificado entrou no estabelecimento e deu seis tiros pelas costas de Sá, quatro deles na cabeça, e depois fugiu numa motocicleta junto com um comparsa que o aguardava do lado de fora. A perícia constatou que os tiros foram disparados de uma pistola 0.40, arma de uso exclusivo da polícia.

Segundo relato policial: um dos marginais adentrou o bar, foi ao banheiro e passou pela mesa da vítima antes de efetuar os disparos. Após o crime, o assassino evadiu-se em fuga na garupa de uma moto pilotada por um comparsa sem preocupar-se de esconder o rosto.

A polícia investiga o crime e não descarta a possibilidade de ter sido "crime de pistolagem" (crime de encomenda). Décio Sá era uma pessoa que não temeu dizer a verdade e denunciar a criminalidade que impera naquela região, tornando-se uma pedra no sapato de gente graúda.

O delegado Gutemberg Carvalho Rêgo, que investiga o assassinato, disse que o blog do qual o jornalista era autor pode conter alguma pista. "O blog pode ser uma boa pista. Temos o celular da vítima também. Vamos analisar tudo com calma para chegarmos aos autores do assassinato", adiantou.