CLICK AQUI

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Irmã do jogador Hulk reaparece e já está em casa; Polícia ainda investiga se foi sequestro


A irmã mais nova do jogador paraibano Givanildo Vieira de Souza (Hulk), Angélica Aparecida Vieira de Souza, 22 anos, foi localizada e já está na casa de seus pais, localizada no bairro do Alto Branco, em Campina Grande. Ela estava desaparecida desde às 14 horas desta segunda-feira (5). As primeiras informações da Polícia Militar eram de que a estudante de Nutrição havia sido sequestrada por dois homens armados. A família não fala em sequestro. 
Nem a família e nem a vítima falaram com a imprensa. À noite, a polícia confirmou que a família de Hulk havia pedido o afastamento das investigações. O jogador Hulk foi informado por telefone. Ele está na Rússia e também não se pronunciou sobre o caso. 
De acordo com o superintendente da Polícia Civil de Campina Grande, Marcos Paulo Vilela, a família do atleta temia a integridade de Angélica e pediu o afastamento da polícia. 
O superintendente tratava o caso como sequestro, conforme o relato de Hélio Pereira da Silva, que estava com a estudante no momento em que ela teria sido levada por dois homens armados, ainda não identificados.
De acordo com major Alecssandro Medeiros, sub-comandante do 2º BPM, por volta das 14h, o Comando de Operações da Polícia Militar (Copom) foi comunicado sobre o sequestro praticado por homens armados que se aproximaram do veículo onde a vítima estava, no bairro do Catolé, e a retiraram do carro sob a mira de armas. 
“Ela estava sozinha dentro do carro esperando o gerente de um atacadão, quando foi sequestrada. Hélio Pereira da Silva estava retornado para o carro quando presenciou a amiga sendo raptada por homens armados”, comentou o policial.
O bairro do Catolé, onde ocorreu o sequestro da irmã de Hulk, é uma das áreas mais nobres de Campina Grande. O bairro há vários shoppings e restaurantes. 
Hulk joga atualmente pelo Zenit (RU) e ficou apreensivo. Ele aguardava maiores detalhes para tomar alguma providência se viria ou não ao Brasil. O atleta atualmente está lesionado e como não jogará pelo clube e nem pela Seleção Brasileira, há uma possibilidade dele vir para sua cidade natal, Campina Grande (localizada a 118 km de João Pessoa). 
Segundo a mãe do jogador, Maria do Socorro, a família aguardava contato com os possíveis sequestradores. "Estamos aguardando algum contato, mas nesse momento, prefiro o silêncio", disse aflita a mãe de Hulk. 
A irmã de Hulk é estudante de nutrição e estava estagiando em uma empresa da área. No momento do possível sequestro, ela estava visitando um restaurante de Campina Grande. 
O delegado Henry Fábio, titular da Roubos e Furtos de Campina Grande está investigando o caso. Porém, o superintendente da Polícia Civil de Campina, Marcos Paulo Villela, informou que a família do jogador ainda não prestou queixa sobre o sequestro.
Angélica
Créditos: Internet
Hulk é, atualmente, considerado o jogador mais caro do mundo e joga no time russo do Zenit. O paraibano é também o titular da Seleção Brasileira de Futebol, comandada por Mano Menezes.
O atleta também é conhecido por ser muito próximo a família. No último dia 10 de setembro, quando o Brasil jogou no Recife um amistoso contra a China no estádio do Arruda, Hulk aproveitou a oportunidade e levou toda a família para assistir a partida.
Arquivo pessoal
Créditos: Arquivo Pessoal
Essa não é a primeira vez que jogadores conhecidos sofreram violência urbana. Atletas como Robinho, Valdívia, Romário, Luis Fabiano, Grafite, Ricardo Oliveira e Rogério já vivenciaram a mesma situação. 
J.Luiz com portalcorreio