CLICK AQUI

sábado, 24 de novembro de 2012

Primeira Romaria de Nossa Senhora da Penha sem Zuleide. Veja matéria.

Esta é a primeira Romaria de Nossa Senhora da Penha, sem que esteja presente, a nossa inesquecível irmã, amiga Zuleide, que faleceu no dia 09 de maio de 2012.
Ela sempre alugava topic e saia daqui com sua caravana, para acompanhar a procissão, saudades de você Zuleide.
Click AQUI e veja a matéria da morte de Zuleide.



Acontece neste sábado (24), em João Pessoa, a 249ª Romaria de Nossa Senhora da Penha. A expectativa é que cerca de 300 mil pessoas participem da procissão que percorrerá 14 km. O tema da Romaria deste ano será “Maria, saúde dos enfermos, ajuda-nos a perseverar na fé e a construir a unidade”. Segundo a organização, a procissão é o segundo maior evento religioso Brasil, perdendo apenas para o Círio de Nazaré realizado em Belém do Pará.
A aposentada Maria José Farias é devota de Nossa Senhora da Penha desde criança e sua história de fé e devoção se estende para toda a família. “Minha avó já era devota de Nossa Senhora. Tenho muito amor por ela e não vou deixar nunca”, disse. Todos os dias, ela acorda bem cedo e se ajoelha diante de seu oratório para pedir e agradecer a santa pelas graças alcançadas. 
Ela afirma que milagres já foram realizados por intermédio da santa, mas dois foram mais especiais. “Meu marido se alcoolizava muito e passei a vida inteira pedindo que ele parasse e há oito anos ele deixou e também se tornou devoto dela. Há dois anos, minha mão estava imobilizada e o médico disse que não poderia mais mexê-la, fui pra Romaria pedindo por minha cura, e hoje já esta bem melhor”, disse.
Nossa Senhora da Penha
Créditos: Foto: Jornal Correio da PB
A programação da Romaria começa ainda na tarde de hoje, quando os devotos da Santa se reunirão no Santuário da Penha. Em seguida, às 17h, os católicos sairão em carreata de acompanhamento à imagem de Nossa Senhora da Penha que será levada até o ponto de partida da procissão, a Igreja Nossa Senhora de Lourdes, localizada no centro da capital paraibana.
Às 22h os romeiros executarão o percurso em destino ao Santuário da Penha, passando pelas avenidas João Machado, Dom Pedro II, Via Expressa Padre Zé (Universidade Federal da Paraíba), principal dos Bancários (Ruas João Rodrigues Alves, Sérgio Guerra e Walfredo Brandão) e Avenida Hilton Souto Maior.
A previsão é que o trajeto seja realizado em 5 horas. Louvor e oração acontecerão simultaneamente no início da procissão. Logo após a chegada do andor que carrega a imagem na Praia da Penha, por volta das 5h do domingo (25), será realizada uma celebração religiosa. A missa será celebrada pelo arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto. 
A mobilidade urbana durante a procissão
A Superintendência Executiva da Mobilidade Urbana (Semob) vai disponibilizar mais de 100 servidores – entre agentes de mobilidade e pessoal de apoio – para dar suporte ao evento e segurança a quem for acompanhar o cortejo até chegar a Praia da Penha. Para completar o esquema de segurança oferecido aos devotos, a Semob vai contar com o auxílio das câmeras instaladas na sede do órgão e no Centro Administrativo Municipal para monitorar o percurso da romaria. Além disso, a operação interditará algumas vias urbanas da cidade de João Pessoa.
Durante o período de concentração dos fiéis e organização da saída da procissão, o trecho da Avenida João Machado, entre a Rua das Trincheiras e a Rua Rodrigues de Aquino estará bloqueado. As áreas de isolamento na concentração serão estendidas conforme o aumento do público, devendo o fluxo da Avenida João Machado, entre a Rua das Trincheiras e a Tabajaras (Praça Castro Pinto), ser interditado a partir das 20h.
Após o bloqueio do cruzamento entre a João Machado e a Tabajaras, os veículos que vêm da Avenida Vasco da Gama em direção ao Centro, deverão seguir pelas ruas Capitão José Pessoa, Rodrigues de Aquino, Irineu Joffiliy, Rodrigues Chaves e Nina Lima até a cidade baixa ou em frente, indo à Praça Venâncio Neiva.
Os veículos que saem do Centro com destino a Cruz das Armas, após o fechamento do cruzamento na Diogo Velho com João Machado, deverão seguir pela Rua Desembargador José Peregrino, cruzar a Rodrigues de Aquino indo até a Rua Nina Lima retornando para as Trincheiras.
Com o início da procissão, os agentes de trânsito serão remanejados para os outros pontos efetuando os bloqueios e os desvios necessários para a segurança do trânsito.

Transporte público
Um plano especial foi montado para atender os usuários do transporte coletivo durante a Romaria da Penha. Serão colocados 140 ônibus extras nas ruas de João Pessoa, sendo 100 da empresa Transnacional e 40 veículos da Marcos da Silva. Os veículos coletivos circularão por toda região de Mangabeira e pela Avenida Epitácio Pessoa até o Terminal de Integração do Varadouro, partindo da Penha.
A Semob disponibilizará ainda, das 4h30 às 5h30, mais 40 viagens extras – todas partindo da Integração – das linhas seguintes linhas:
102 - Costa e Silva;
104 - Bairro das Indústrias;
105 - Cidade dos Funcionários;
109 - Rua do Rio;
114 - Grotão;
116 e 5201 - Colinas do Sul;
118 - Valentina/Paratibe;
120 - Parque do Sol/Muçumago;
701 - Acesso Oeste;
504 - Mandacaru;
5100 - Circular.
Hospital dará assistência aos romeiros
Cinco profissionais do Complexo Hospitalar Clementino Fraga estarão a disposição dos romeiros durante todo o evento religioso. A equipe composta por uma enfermeira, três técnicos em enfermagem e um motorista estará localizada no posto de gasolina próximo à praia da Seixas, das 22h do sábado às 8h do domingo.
De acordo com a diretora da unidade de saúde, Adriana Teixeira, será um trabalho de apoio ao Corpo de Bombeiros. “No aniversário de 249 anos da Romaria da Penha, o Complexo Hospitalar Clementino Fraga estará marcando presença com enfermeiros e técnicos, a fim de prestar toda uma assistência aos romeiros oferecendo um serviço de pré-atendimento ao Corpo de Bombeiros, que todos os anos se faz presente na procissão”, declarou.
História da Romaria de Nossa Senhora da Penha
Em 1763, o português Sílvio Siqueira comandava uma embarcação que saíra do norte em direção à Europa. Chegando ao litoral paraibano, os tripulantes enfrentaram uma grande tormenta em alto mar. Aflito, o capitão reuniu toda sua tropa e juntos pediram proteção a Nossa Senhora da Penha, prometendo erguer uma ermida em sua honra no local em que aportasse em segurança.
Instantes depois, todos conseguiram desembarcar com tranquilidade na então Praia de Aratú - hoje Praia da Penha. Como prometido, a construção foi feita. Essa foi a terceira capela construída no Brasil para Nossa Senhora da Penha. A primeira foi erguida em Vila Velha, na então Capitania do Espírito Santo, entre os anos de 1558 e 1570. A segunda foi construída em 1635, pelo capitão Baltazar Abrel Cardoso, na Freguesia de Irajá, no Rio de Janeiro.
Tombado há mais de três décadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphaep), em 26 de agosto de 1980, o Santuário da Penha faz parte do roteiro histórico, turístico e religioso do litoral paraibano, muito procurado por conta dos milagres atribuídos a Nossa Senhora.
J.Luiz com portalcorreio