CLICK AQUI

sábado, 29 de dezembro de 2012

Operação Bacurau: Euler invade o CIOP de madrugada para detratar subordinados e conferir execução de escala de serviço desumana


Não param de chegar à imprensa denúncias contra o comandante geral, coronel Euller Chaves. Agora são os policiais militares lotados no CIOP que reclamam da escala de serviço considerada desumana e que estaria sendo responsável por danos a saúde desses servidores. 

Acossado por denúncias mais graves, que vão da tortura ao desvio de recursos, o coronel tem procurado se segurar no cargo “mostrando serviço” e determinou uma escala que fere todas as normas trabalhistas, como denuncia um dos prejudicados, através de e-mail encaminhado ao deputado Luiz Couto e também a redação deste portal.

Segundo o denunciante, afora a escala desumana, o coronel também retirou gratificações e benefícios como insalubridade e tem aparecido sorrateiramente no CIOP, pelas madrugadas, sem o conhecimento do secretário Cláudio Lima, para detratar e ameaçar os que estão escalados de serviço, impondo um clima de opressão e terror já abolido da caserna.

O fato de estar indo pela madrugada a sede da Secretaria seria uma forma do coronel evitar o contato com o titular da pasta, Cláudio Lima, a quem Euler já aprontou muitas e boas, culminando com a apreensão de um filho menor do delegado, acusado de consumo de drogas, para, posteriormente, não se confirmar a denuncia da guarnição que deu o “flagrante”.

O rapaz estava na companhia de um amigo, filho de outro auxiliar de Ricardo, mas que não interessava ao comandante divulgar o nome já que a abordagem que prendeu os “infratores” tinha por objetivo constranger o secretário. 

Junto com o filho de Claudio Lima, segundo informações da própria SSP, estaria um filho de Deusdete Queiroga, que já protagonizou outros episódios policiais, quando teria sido preso assaltando em bairros nobres da cidade.

Mas, como a prisão tinha por fim apenas expor a constrangimento o secretário de Segurança, a assessoria de imprensa do comandante geral deu ênfase apenas ao filho de Cláudio Lima omitindo o rebento do superintendente da Cagepa já de maior e com antecedentes.

Essa teria sido a gota d’água no relacionamento entre Cláudio e Euler e a demissão do coronel, segundo fontes do palácio, seria apenas uma questão de tempo e de conveniência enquanto se estuda um nome que revele capacidade para corrigir os desmandos promovidos pela atual gestão. 

Por um Fio

O comandante tem se movimentado desesperadamente nos bastidores, apelado para Deus e o Diabo, inventado todo tipo de operação, ameaçando subordinados tudo para não perder o cargo. São sérias e graves as denúncias contra Euller a respeito de desvio de recursos em sua gestão. 

Uma enxurrada de provas estaria sendo depositado na mesa do governador, inclusive com fotos dos imóveis adquiridos em condomínios de luxo supostamente pertencentes a coronéis, integrantes do Estado-Maior e da inteira confiança do comandante geral.

São imóveis cujo preço de mercado chega aos R$ 2 milhões, ainda em construção, e que receberiam a visita semanal dos futuros proprietários interessados no cronograma da obra. Essas visitas teriam sido registradas e depoimentos de empregados - ligados a imobiliária e a construtora - colhidos, revelando quem são os verdadeiros donos das moradias suntuosas.

Enquanto isso no CIOP, os praças se desesperam com a escala de serviço e com as visitas noturnas do comandante geral. Transcrevemos, abaixo, o e-mail do militar aflito:

Venho respeitosamente a registrar, deputado Luiz Couto, denúncia implacável, e perseguirão no Ciop às telefonistas e operadores de rádio, no que tange as escalas de serviços que nos foram impostas esta semana, 22/12/2012, por capricho e ruindade, pois as leis trabalhistas nos dizem o seguinte: quem trabalha com radiatividades tem por obrigação de trabalharmos no máximo 6 horas por dia.

Quero dizer que houve um consenso entre os operadores há tempo uns 10 anos essa escala vem de forma acordada, desde o velho (Copom), de 12h/60h e por conta de um entreve do comandante geral que chegou essa semana pela madrugada à secretaria de segurança, as escondidas, de forma desumana e arrogante o que já lhe é peculiar, pressionando e denegrindo a imagem e humilhando-nos. Agora pergunto: por que ele não vai lutar pela insalubridade que foi cortada dos nossos contra cheques? Retiraram do pessoal que até hoje não recebemos mais.

Quero aqui dizer que o doutor Cláudio Lima [secretário de Segurança] é uma pessoa de primeira linha, muito educado, uma pessoa boa, o nosso secretario é uma pessoa ótima compreensiva e acima de tudo humana. Este comandante geral por pura perseguição determinou uma escala de 12h/36h sem a mínima necessidade ao serviço, até por que a situação somente se deu lá e o serviço em si é estressante.

Para o senhor [Luiz Couto] ter uma idéia, nenhum policial quer ir para lá [pro Ciop], por que não compensa, pois o fim de tudo é somente adquirir doença. O que acho engraçado é que os oficiais não mudaram o pessoal do corpo de bombeiro. Quer dizer, existiu aí uma discriminação, ou seja, dois pesos e duas medidas....

Nessa situação quem paga o “pato” é sempre o pequeno. Tenha a inteira convicção, excelência, que o senhor irá fazer uma visita a nós e lutar em nossos favor, porque não temos ninguém por nós, somos uns desvalidos da vida sob a égide de um regime opressor, que não sei por que ainda perdura essa desgraça.....peço ate desculpa pelas palavras.....mas a revolta é tamanha...

Em nossa favor somente DEUS, primeiramente Jesus, e segundo os direitos humanos; e ai de nós se não fosse o senhor e a imprensa falada e escrita para denunciarmos a safadeza dentro da policia militar, iremos mandar um imail para a imprensa e o paraibaemqap. Agora excelência, estou entendendo o por que não quiseram que se estalasse uma ouvidoria na policia militar. É deprimente o que fizeram os com trabalhares do Ciop, esse foi o presente do Natal que o cmt geral fez com nós... Estamos em uma revolta geral, muitos estão pensando transferir-se de lá. Isso sem contar com relação a esses extras que a safadeza é grande. Temos que fazer uma apuração sumaria....

Interceda por nós perante o governador, padre !!!! Tenho a certeza que ele não comunga com nada fora da legalidade!! e nem tampouco perseguição pois o nosso governador teve uma expressiva votação dos policiais. Esse é um desabafo de um profissional de segurança que tanto lhe admira....senta a ripa excelência !! e que nós estamos com o senhor......

Peço a vossa excelência que mantenha meu nome sob sigilo. No mais agradeço o espaço e creio que providencias serão tomadas por parte de vossa excelência. Infelizmente irei usar o anonimato, face ao regime opressor.
J.Luiz com Jampanews