CLICK AQUI

quarta-feira, 5 de março de 2014

Secom dar sua versão sobre prisão do sargento em Mamanguape.


De acordo com a Secom, o sargento teve seu direito à liberdade de expressão preservada, mas o fez de forma indevida já que apresentava sintomas de embriaguez, posteriormente confirmado por exames.

Nos seus esclarecimentos, o Governo ressalta que jamais interferirá na liberdade de opinião dos servidores, mas tem o dever de preservar os aspectos legais aviltados no episódio em foco, que já está sendo apurado por uma comissão de disciplina da instituição, e cujos resultados serão oportunamente divulgados.

De acordo com os acontecimentos, o sargento Galdino teria interrompido uma solenidade oficial e se dirigido ao governador em exercício, Rômulo Gouveia, contestando os dados apresentados pelo Chefe do Executivo, em relação a política salarial de Ricardo Coutinho.
Click aqui e Curta a fanpage do Notícias e informações Online no Facebook e receba as últimas notícias
Para o Governo a forma acintosa como o militar se dirigiu ao governador em exercício caracteriza desrespeito e quebra de hierarquia, atitude que não pode ser tolerada por colocar em risco a disciplina.
Eu só não entendo como esse exame saiu tão rápido, confirmando que o sargento estava embriagado, se em muitos casos exames como esse, demoram até 30 dias. Deixo minhas solidariedades ao sargento, caso ele esteja certo, mais todos sabem que o trabalho da polícia e duro e arriscado.

J.Luiz com Jampanews